5 de mar de 2016
Por Nathália Bastos

Pétreos/ Everton Moreira

Título: Pétreos
Autor: Everton Moreira
Editora: Garcia
Páginas: 262
Avaliação: 4/5
Sinopse: Sir John Taurio, Conde de Alandes e comandante do exército de Rehn, era o melhor amigo do Rei Beath desde a infância e juntos tornaram seu reino o mais forte de todos os conhecidos. A amizade, vista como a base de uma era de ouro, se rompe de maneira inconciliável diante de uma praga agrícola. O Conde acredita que todos devem racionar qualquer suprimento para que o povo consiga sobreviver à crise, enquanto o monarca deseja que os impostos sobre a produção subam para preservar os luxos da nobreza. 
John não consegue aceitar as ordens de seu antigo amigo e lança seu condado em uma luta desesperada para se separar do reino. Os homens do condado de Alandes têm a escolha de lutar por um mundo novo que ainda não conseguem entender ou aceitar a exploração imposta pela monarquia. Com poucos aliados, Sir John decide não se render ao mundo que até então tinha defendido. Alandes, seu líder e seu povo buscam ser algo maior do que um simples território, eles precisam se tornar um sentimento de liberdade.

Sabe aquele livro que faz ler com calma para prestar atenção em cada detalhe? Pois é, esse livro é sensacional, uma leitura super edificante que te ensina muito sobre estratégia de liderança, sobre as dificuldades da liderança e que ser um Rei (ou algum político) não é tarefa fácil. Esse livro me fez refletir sobre a situação atual de nosso país, assim como também me fez refletir sobre liderança (já que sou líder de um grupo de dança na minha igreja) vi que para alcança o que desejamos é preciso lutar e começar pequeno, foi um grande aprendizado no qual levarei comigo de agora em diante. Para mim, acho que todos deveriam ler principalmente os políticos, para aprender a olhar para povo e fazer política para eles e não para si mesmo.

A estória se passa na era medieval, onde existia Rei e toda a hierarquia da nobreza, nele conhecemos o Conde John que é um homem humilde, um homem do povo. Quando o Rei se vê em meio a uma crise, sua solução é aumentar os impostos a fim de beneficiar os nobres, John não concorda, mesmo sendo seu Rei e seu melhor amigo, ele mesmo assim resolve contrariar as ordens do seu próprio Rei. John era o melhor comandante do exercito, que levou ser o melhor exercito muito bem reconhecido e forte, dificil de ser derrotado e ainda era melhor amigo e conselheiro do Rei de Rhen. 

Diante da atitude impensada do Rei, John, que é também Conde do Condado de Alandes, resolve lutar pela igualdade de seu povo, se humilhando e se reconhecendo como um político que faz suas obrigações para com seu povo e não para ele mesmo. Rei Beath não aceita e com isso é travada uma guerra, fazendo de John o Conde Rebelde que se aproveita do momento para se declarar Rei de Alandes, o que realmente não era sua intenção.  

Estratégia de guerra, planejamentos, conselhos, John teve que começar do zero, muito nobres se via em desvantagem e resolveu não fazer parte, com isso o conselho de Alandes foi formado por meros Camponeses. John pode não ser um bom Rei, mas era excelente estrategista, o que levou a pensar minuciosamente em cada detalhe e soube escolher os momentos certos para que tudo aconteça. 

"- (...) Que tipo de guerra é essa? - Uma guerra comum de um Reino pequeno com um grande. O pequeno escolhe a melhor maneira de se defender e deixa o grande se desgastar até aceitar a derrota." cap. 26 pag. 149.

O mais interessante nesta estória toda, é a forma como tudo isso é bem pensado, bem planejado. Fui surpreendida com cada palavra e ensinamentos, com os gestos que John fazia, a forma de ele liderar e sua calma foram interessantes e consegui absorver bem esse ponto. Além de referências históricas, o autor soube muito bem abordar esse tema com política de forma bem sutil, para quem estar acompanhando nosso momento de crise no Brasil, você simplesmente pensa, por que não existem homens como John? Por que não existe político que pensa no bem da população ao invés de pensar somente em si mesmo? Esse livro me levou a esses pensamentos. 

Outro ponto interessante é como o feminismo foi abordado, o autor soube muito bem abordar e aproveitar isso, fazendo com que as mulheres se mostram dispostas a ajudar e lutar pelo seu território. Assim como diz aquele versículo bíblico: A mulher sábia edifica a sua casa; neste posso dizer que as mulheres realmente sabem mostrar que podem fazer serviços pesados e ainda surpreender com atividade no qual todos pensam que somente para homens.

A leitura não foi rápida, ela é super envolvente, mas o fato de ter muitas estratégias e descrições de guerras, para mim li com mais calma para entender melhor, visto que foi minha primeira experiência com livros assim. Senti falta da linha de tempo, a estória corria sem dizer data ou dia, vi alguns pequenos erros ortográficos, mas nada que nos faz atrapalhar muito de ler. 

Super, mega recomendadíssimo. Se você busca algo com referências históricas e estratégias de guerras e afins, esse livro é pra você, assim como fui surpreendida com cada página e um final bem emocionante, você também será, e ainda levar as lições contigo e vai querer lutar pelo nosso país, pois NÒS merecemos uma política justa com pessoas justas.

Quero agradecer ao Everton pela oportunidade desta parceria e por confiar em mim, me senti muito honrada de ler essa obra, sua escrita é excelente que parece que estamos vendo filme de guerra!! Que venha o segundo volume.

Post feito pela Nathy.




Post válido para Top Comentarista de Março

Comentários via Facebook

10 comentários:

  1. Olá...
    Confesso que ainda não tinha ouvido falar desse livro... Mas gosto de leituras que nos prendem a detalhes e nos fazem tirar lições para o dia a dia!!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Fiquei bem interessado, a premissa me interessou bastante, mas não sei se me envolveria tanto com a história pelas descrições envolvendo armamentos e tals das quais você falou. Enfim, é sempre bom se arriscar em novo! Abraços :)

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse livro. Mas gostei bastante da resenha, e é um grande aspecto para entrar na Minha lista de compras.

    ResponderExcluir
  4. Confesso que não conhecia o livro e o autor, mas fiquei curiosa com a sinopse por ser tratar de um assunto tão diferente...
    Amei sua resenha, vou conferir a resenha!
    bjus

    ResponderExcluir
  5. Conhecia esse livro através das redes sociais, e apesar de aborda um gênero que não costumo ler, achei a história muito bem construída, e envolvente, e para quem gosta desse tipo de leitura, com certeza vai se interessar por esse livro.

    ResponderExcluir
  6. Gostei bastante de conhecer o livro, achei bem interessante a temática, fiquei curiosa para ler ainda mais com uma resenha super positiva.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o autor e nem o livro. A historia parece ser interessante, mesmo eu não sabendo ao certo se leria ou não. Mesmo assim gostei da resenha, me ajudou muito a conhecer melhor o livro :D

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pela dica, gostei de conhecer o autor e o seu livro.
    Não sei se gostaria muito da leitura devido as muitas descrições de guerra e estratégias, mas para quem gosta parece ser ótimo!!

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente a premissa da história não me chamou tanta atenção. Gostei muito do fato do autor abordar o feminismo dentro do seu livro. Mas que bom que você gostou da leitura e conseguiu aproveitar a leitura. Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mas gostei muito principalmente pelas reflexões que ele acaba nos fazendo e achei o John um personagem bem interessante por tudo que ele faz e o modo como conduz também achei interessante o autor falar do feminismo e se tiver oportunidade quero ler esse livro !!

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por