Cada filme renova a coleção de máscaras perturbadoras pro Halloween

Não, eu não assisti Venom. Vocês ainda não compartilharam isso aqui o suficiente para que eu veja os filmes de graça, então eu me recusei a gastar com um filme do homem-aranha sem o homem-aranha. Todavia, o filme que eu assisti, e agora venho falar um monte sobre, é o quarto capítulo de uma franquia amada por muitos e ainda injustamente desconhecida por alguns. Atual, inteligente e divertida, a franquia The Purge (Uma Noite de Crime, nacionalmente) chega ao seu mais recente episódio com discussões ainda relevantes, mas já dando bons sinais de esgotamento. Vamos  juntos ao passado daquele mundo cagado tentar entender como foi A Primeira Noite de Crime (The First Purge, Gerald McMurray 2018). Só vem!

Comentários via Facebook

3 de out de 2018
Por Nathália Bastos

Eternamente Cecília/ Elysanna Louzada

Título: Eternamente Cecília
Autora: Elysanna Louzada
Gênero: Romance
Editora: Independente
Páginas: 288
Avaliação: 4/5
Sinopse: 1890, Itália. Cecilia Agrizzi embarca com a família em um vapor para o Brasil em busca de trabalho e das terras prometidas pelo governo do Espírito Santo. Cecilia vai trabalhar em uma fazenda de café, mas quando seu pai adoece, ela se transfere para a cozinha da casa de Estela Dias, uma arrogante aristocrata que não perde a chance de humilhar seus empregados. Seus problemas só pioram depois que o herdeiro, Francisco, um conquistador nato, interessa-se por ela. Em meio à uma tórrida paixão, Cecilia precisará se livrar do obsessivo Otávio e enfrentar o ódio de Estela que usará de violência para se vingar da italiana que roubou o coração de seu filho e arruinou as chances de vê-lo casado com uma herdeira rica.
Eternamente Cecilia é a história de um amor proibido que desafia as convenções sociais do século XIX.
*Elysanna Louzada é autora parceira do blog.

Antes de começar, só quero dizer que esse livro é mais do que um romance de época, ele é uma baita aula de História do Brasil, Elysanna foi original e criativa fazendo dele basicamente um estudo com tantos elementos históricos e fatos que ocorreu no fim do século XIX, com o fim da escravidão, a crise do café e a chegada da colonia italiana. Eu não poderia ter deixado de admirar esse ponto, pois para mim ele se tornou um livro que todos devem ler, principalmente em escolas, afinal, nada melhor do que agregar um hábito de leitura e estudar ao mesmo tempo.

É uma surpreendente historia que envolve a luta pelos direitos, pela igualdade e principalmente, pelo valor a vida. pois Cecília é uma personagem forte que não se deixa abater por sua diferença, ela é esforçada, sabe que precisa ir a luta para conseguir o que deseja, mas também é sensata, sabendo que precisa muitas vezes abaixar a cabeça e obedecer.
Seria desgastante falar de igualdade e respeito pelo ser humano para uma narcisista escravocrata.
Essa história é cheia de reviravoltas, começando com a chegada de Cecília e sua família ao Brasil, em busca de uma vida melhor, com isso eles vão trabalhar em uma fazenda de café, enquanto seu pai e irmãos trabalham no cafezal, Cecília conseguiu a oportunidade de trabalhar na cozinha da casa grande, onde poderia ter ganhos melhores, mas, existia regras: nunca se aproximar de Francisco Dias, o herdeiro sedutor. Será que ela vai seguir essa regra a risca?

Comentários via Facebook

1 de out de 2018
Por Duda_ Conti

Textinhos da Duda / Volta Amor!



Comentários via Facebook


Nação Brasileira! Estamos ha poucos dias do primeiro turno das Eleições 2018. Entre #ELENAOs e #ELESIMs vivemos um momento importantíssimo para o futuro do nosso país que merece todas as discussões que está causando em cada esquina. Não aprendemos nada como os últimos anos e estamos novamente à beira de uma competição política extremamente divisiva e polarizada, capaz de despertar o pior em cada um de nós e nos fazendo esquecer do que nos une enquanto povo. Milhares de filmes falam sobre eleições, mas hoje eu trago para vocês uma lista com 5 filmes que tratam das consequências de se abraçar extremismos políticos, de se IDOLATRAR OU ODIAR figuras políticas que pensam diferente de você e dos reais poderes que controlam a sua vida enquanto você tá feliz subindo essa ou aquela hashtag no twitter. A intenção hoje é te ajudar a pensar, sem muita piadinha dessa vez. Vamo comigo e GLÓRIA A DEUUUXXXX!

Comentários via Facebook

Título: Uma Canção para a Libélula - Volume Único
Autora: Juliana Daglio
Gênero: Drama/Romance
Editora: Amazon
Páginas: 612
Avaliação: 5/5
Sinopse: Ainda criança, a talentosa Vanessa compôs uma canção para expressar seu fascínio por libélulas. Sem compreender o significado desses insetos alados em sua vida, ela cresceu para se tornar uma pianista de sucesso, famosa em toda a Europa. Porém, sua alma sombria e quieta segue assombrada por uma presença cinza, uma doença inescrutável. A jovem pianista precisa retornar ao Brasil, ignorando a voz obscura que ronda sua mente, prometendo tragá-la para as memórias terríveis que cercam sua antiga casa em São Paulo. Seu reencontro com a mãe não facilita para que enfrente os sintomas de fraqueza que a acometem, levando-a a um abismo em si mesma. Contudo, Vanessa não estará mais sozinha. Em meio a todo o caos, conhece Nathan, um misterioso rapaz que se esconde por trás de meios sorrisos. Logo ele se mostra decidido na missão de ajudá-la a encarar a parte mais difícil de sua doença – a sobrevivência. 


Uma história sobre depressão, perdas e superação, que já conquistou centenas de leitores em suas primeiras edições. Agora o texto chega até o leitor em uma segunda versão, com o conteúdo renovado e cenas inéditas que compõe a mesma história. A trajetória de uma simples ninfa através de lagos sombrios, de um casulo apertado, até o romper das asas de uma imponente Libélula. 
Seja forte agora, mas não contenha suas lágrimas. 
Ouça a Canção até o final.
*Juliana Daglio é autora parceira do blog.

Quebrei meu casulo e voei

Nessa nova edição, Juliana nos traz uma historia mais madura, mas sem deixar a essência da história, se você não conhece, convido você a ler as resenhas da edição antiga, pois nessa resenha irei apenas pontuar as diferenças, já que a história na verdade continua a mesma. Basta clicar nos links a seguir:

Uma Canção para a Libélula Parte I
Uma Canção para a Libélula Parte II 

Agora vem se emocionar comigo nessa nova edição.

A Depressão é diferente para cada um, como comprovei ao ir á reunião daquele grupo de apoio, e depois lendo sobre o assunto. Muitos podiam ver de outra forma, mas para mim a imagem de estar confinada em camadas e mais camadas, lutando para sair, era a mais simbólica. Meus sonhos sufocantes se repetiam todas as noites, impiedosos. Não tinha certeza se conseguiria sair de dentro de minha crisálida como um imago bem sucedido, mas prosseguia tentando, pensando em cada palavra de amor de minha família.

Comentários via Facebook



Título: Guardião do Medo 
Autor: Michelle Pereira
Editora: Editora Garcia
Páginas: 252
Nota: 5/5
Gênero: Drama
Sinopse: Alexander está morrendo pouco a pouco em um hospital. O câncer está consumindo seu corpo por dentro, minuto a minuto. E ele quer morrer logo. Rápido. A vida que ele viveu não deixa dúvidas de que o inferno é sua próxima parada, mas ele não contava que um anjo viria ajudá-lo. Raya, a Guardiã, de asas negras, olhos azuis e mistérios e mais mistérios. Contudo, o que ele deveria pensar quando seu anjo protetor estpa escondendo algo importante? E quando tenta matá-lo? 
Em meio à loucura, aos pesadelos desesperadores e às perdas cada vez mais frequentes, ele se vê dentro de uma disputa muito além do imaginável, entre os Guardiões da Criação e as Filhas de Daemon. Ele é importante, para ambos, tanto para a Luz quanto para as Trevas. Porém, qual será a melhor escolha? Viver imerso nos segredos e omissões de Raya ou ser inundado pelo poder extasiante do Inferno?   

Se vocês estão esperando por um livro triste, melancólico e pesado, estão completamente enganados. "Guardião do Medo" é um livro muito maior, com uma história que te conquista desde o primeiro capítulo e não te deixa sossegado enquanto você não termina de ler. Aborda a questão da Morte sob novas perspectivas, mostrando que a Bondade no mundo ainda existe, apesar de todas as Trevas que nos circundam. Ficou interessado e quer saber mais sobre o livro? Continue a ler!  

Comentários via Facebook

13 de set de 2018
Por Hugo Vinicius

Crítica: A Freira - É Ruim, Mas é Bom


                                                            ''Nossa, esse strogonoff tá ótimo, Cleide!" 
                                                            "Que bom que gostou, amiga, mas era lasanha"

Só se fala de A Freira (The Nun, no original) por esses dias. Esse derivado enlatado da franquia de terror  iniciada por Invocação do Mal (The Conjuring, de 2013) se tornou um fenômeno nas últimas semanas, consagrando-se o maior filme de toda a franquia - que ainda conta com os filmes da boneca Annabelle - em termos de bilheteria. Posso dizer que A Freira é o maior filme sobre uma irmã consagrada  fazendo loucuras num convento desde a época das Mudanças de Habito (Sister Act, 1992 e 1993) de Whoopi Goldberg nos anos 90. Como terror eu já adianto que não é lá essas coisas, mas ruim, meus amigos, também não é. Vamo comigo!

Comentários via Facebook

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por