23 de fev de 2017
Por Nathália Bastos

Uma Canção para a Libélula - Parte I/ Juliana Daglio

Título: Uma Canção para Libélula – Parte I
Autora: Juliana Daglio
Editora: Arwen
Gênero: Drama/ Romance
Páginas: 180
Avaliação: 5/5 💕
Sinopse: Era uma comum primavera numa fazenda qualquer, mas um encontro inusitado aconteceu: a Menina e a Libélula se viram pela primeira vez. Assombrada por um medo irracional da Morte, a Menina é marcada por esse encontro para o resto de sua vida. Compõe então uma canção em seu piano, homenageando a misteriosa libélula. Os anos se passaram, Vanessa vivia em Londres e tinha a vida cercada por seu iminente sucesso como pianista, porém, algo aconteceu, mudando seu destino: Uma doença, uma viagem e um reencontro. Vanessa precisará encarar fantasmas que sequer lembrava um dia terem assombrado sua vida, tendo de relembrar a morte do irmão e reviver seu conflito com a mãe. E mais importante e mortal, conhecer a grande antagonista de sua vida, a quem chama de Vilã Cinzenta...


Esse não é um livro qualquer, eu chamaria de O Livro. Vocês não têm noção do quanto isso mexeu comigo, do quanto senti o que Vanessa sentiu. Esse livro é arrebatador, é incrível de uma maneira que nem sei explicar. Só digo uma coisa, depressão não é brincadeira, não é frescura de gente “dramática”, depressão é coisa séria, é uma doença que acomete mais a metade da população, você nunca saberá como é sofrer se não sentir na própria pele, mas aqui não quero que você sofra, eu quero que sinta como é e o que acontece com alguém que sofre dessa doença, e é isso que Vanessa me mostrou, e é isso quero que vocês vejam, não é nada bonito, é cinza, é doloroso e muito sofredor, mas te fará refletir muito sobre a doença no quais muitos o intitulam de “polêmico” sem ao menos saber os fatos que levou a isso. E não, esse livro não é para qualquer um, mas quero indicar a todos, sem exceção, pois quero que todos saibam como exatamente é, a verdade nua e crua, sobre essa doença.

Vanessa é uma garota prodígio, puro talento para música clássica. Sua melhor companhia é o seu piano que quando esta tocando simplesmente entra em um novo mundo, Vanessa é uma garota onde talento nasceu cedo e de formas inimagináveis, ainda criança, Vanessa já era capaz de tocar muito bem sem ao menos alguém te-lo ensinado, mas tinha todos diziam que suas músicas eram tristes, mas foi através da musica que ela encontrou sua vontade de viver.

Ainda criança Vanessa sofreu um trauma muito grande que a abalou muito, a morte de um ente querido, sem contar que, sua mãe a culpava pela morte. Alem de querer ter o amor de sua mãe de alguma maneira, ela ainda não o conseguia entender o porquê ela o desprezava, mas Valéria, sua mãe, não era alguém muito certa da cabeça. Com isso Vanessa passou a morar com sua tia em Londres, longe de tudo, mas conseguiu seguir a vida em frente, mas isso a deixou como alguém que não consegue expressar seus sentimentos, alguém um pouco distante e até mesmo fria. Até que um dia ela se vê forçada a voltar para o Brasil a pedido de seu pai que esta muito doente, como seu amor por seu pai é incrível, ela vê entre enfrentar a voltar para o lugar onde sofreu muito somente para ter um momento perto de pai, ou, ficar em Londres e sem saber o que esta acontecendo com seu pai que poderia morrer sem vê-la novamente.

“A morte que me tirara tudo, e que agora poderia tirar meu pai” cap. 2, parte I, pag. 39.

Mesmo com a perspectiva de que teria que enfrentar os maiores “demônios” Vanessa não desistiria de revê seu pai e esta seu lado no momento que mais precisa, mas ainda assim a temível “vilã cinzenta” vinha e trazia as piores lembranças de sua infância, mas, nem por isso ela desistiu e foi ao seu encontro. Sua jornada no Brasil não será nada fácil, Vanessa passara por alguns bocados na casa de seus pais.

Queria falar mais, mas não quero soltar spoilers aqui né, o que posso dizer é que Vanessa enfrentará seus piores medos, suas piores lembranças e também, sua mãe que ainda a culpa pela morte de um ente querido. O livro todo é um enigma e cheio de mistério, ele não diz logo de cara quem morreu, apenas vai dando pista, e outra, vão vendo Vanessa na perspectiva de seus olhos, o livro é narrado em primeira pessoa, o que achei excelente pois nos coloca no lugar da personagem.

E mais uma vez minha parceira linda arrasa, é incrível a escrita da Juliana, é envolvente, é hipnotizador, como o livro é fino, você lê em dois dias (demorei um pouquinho porque estava lendo outros livros juntos kk). A construção de cada personagem é incrível, tanto que um personagem me intrigou muito, o Nathan, ele é misterioso e acho que ele será a chave principal que ajudará Vanessa. O mais lindo além da capa, é a diagramação do livro, ele possui libélulas pela pagina toda, o que faz você ficar encantada, erros encontrei um ou dois, mas mal da para perceber do quanto envolvida estava com a história.

É um livro perfeito, sua história pode ser dolorosa, sim, chorei bastante e depois que terminei fiquei com ressaca. Mas esse livro é para nos ensinar como é a depressão, Juliana conseguiu descrever tudo, todos os acontecimentos, sentimentos, tudo de forma clara, isso me impactou muito, agora sei o porquê da Libélula, ela pode ser um inseto “feio”, mas sua característica é marcante, a Libélula é livre, ela voa, ela enfrenta tudo, ela encara seus medos, mas ainda nesse livro, a Vanessa essa entrando em um casulo, agora só resta lê a parte II, e espero muitas coisas boas pela Vanessa.

A resenha do segundo livro sairá em Março, e prometo trazer as emoções aqui para você. Vou ficando por aqui, mas antes deixou uma linda citação para vocês, até a próxima

“ – Talvez eu pareça muito ingênua, mas de qualquer forma digo uma coisa para a senhorita: passado é passado, e é lá que deve ficar.
- E quando a gente não esquece?
- Não é para esquecer, é para não deixar ele atrapalhar o hoje.” Cap 9, pag. 143.

Para comprar o livro clique aqui.
Para comprar o combo clique aqui


Post válido para Top Comentarista de Fevereiro.




Comentários via Facebook

13 comentários:

  1. Já vi que vou chorar lendo ele *-*
    Recomendo "Lavínia: no limite"


    Minha Fuga da Realidade

    ResponderExcluir
  2. Oi Nathy, tudo bem?
    Adorei como você pontuou sobre a depressão, as pessoas tem mania de romantizar a depressão e tratar como algo que não tem importância, mas essa doença é muito séria. Adorei o livro e já estou ansiosa para a segunda parte da resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Nathy, achei a ideia do livro muito interessante e acho importante tratar sobre a depressão, pois essa doença tem aumentado nos últimos tempos, onde antes eu só ouvia falar de forma esporádica, hoje ela é muito mais mencionada e devemos ficar atentos. A resenha me deixou curiosa pra saber mais da história e quando eu já tava imaginando quem tinha morrido e causado essa dor pra protagonista e fez com que a mãe a culpasse você disse que esse é um mistério no livro que não é logo revelado no inicio :/ Gostei da resenha e anotei a dica ;)

    ResponderExcluir
  4. Tenho vontade de ler esse livro faz tempo.
    Devo confessar que a princípio, pelo título e ilustrações das libélulas...
    Sou fascinada por elas. Tanto que tenho três tatuadas em meu pulso.

    E essa história então?!
    A personagem parece tão sofrida,que dá pena!
    Sem contar esse mistério em torno da trama.

    Bela indicação!

    ResponderExcluir
  5. Realmente mana, depressão não é uma coisa fácil e muito menos deve ser levado como frescura ou ta fazendo cena. Eu confesso que livros com muito sofrimento não fazem o meu estilo, sou uma pessoa que gosta de livros que fazem você rir mas como aqui temos um enredo surpreendente tenho certeza que vai valer a pena passar por esse sofrimento até porque livro bom não se deve negar a leitura. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  6. Fico com o pé atrás por ter te feito chorar, mas gostei demais da sinopse e resenha. Fico imaginando como deve ter sido difícil crescer com a mãe e depois ir para outra realidade com a tia. Quero muito o livro

    ResponderExcluir
  7. Olá, adoro livros que abordam temas relevantes na sociedade e a depressão é um assunto que rende muita conversa pois ele muito delicado. Vejo que a trama introduz essa doença de forma que possamos entender a dimensão das coisas que acontecem com quem lida com isso. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Nathy!
    Que capa mais linda!! É pelo que li da resenha o livro também é maravilhoso. Acho que não li nenhum livro onde a depressão fosse abordado como tema central de uma história. Gostei bastante da indicação!!
    Bjoss

    ResponderExcluir
  9. Oi Nathy...
    Capa linda, citação perfeita e uma resenha de emocionar... Como não desejar ter esse livro em mãos agora mesmo? Temas como a depressão são super importantes de serem abordados e sempre nos trazem ótimas lições para levarmos para a vida toda... Quero ler em breve...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Já tinha visto esse livro antes, mas não pensava que ele era tão profundo, gostei muito do tema que a autora trata nessa historia e fiquei curiosa para ver a forma que ela fala sobre esse tema, parece ser um livro com uma grande carga emocional e se tiver oportunidade quero muito ler essa historia !!

    ResponderExcluir
  11. Meu deus, com essa resenha ja quero correr e pegar o livro!! Adoro livros que prendem desse jeito, livros definitivamente 'arrebatadores' são muito bons. Obrigada pela dica, resenha otima.

    Blog: http://literarte.blog.br/
    Insta: instagram.com/blogliterarte
    Twitter: twitter.com/yasmimsaks

    ResponderExcluir
  12. Adorei a resenha, gosto muito desse tipo de leitura, espero ter a oportunidade de ler em breve, parabéns pelo blog.


    www.dicasrodape.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oi Nathy.
    Eu estou louca para ler esses livros, já estou com pena na Vanessa, não me lembro de personagens de livros que curtem música clássica, os que li foram bem poucos, então adoro quando eles tem uma coisa diferente do que costumo ver, já estou torcendo por e curiosa para saber o que aconteceu e por que a mãe a trata dessa forma.
    Bjs.

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por