15 de jan de 2016
Por Nathália Bastos

Habitantes do Cosmos - Artemísia/ Francélia Pereira

Título: Habitantes do Cosmos: Artemísia
Volume: 2
Autora: Francélia Pereira
Editora: Buriti
Páginas: 180
Avaliação: 5/5
Sinopse: O planeta Terra havia se tornado hostil. A humanidade havia migrado para vários pontos do Sistema Solar. O Governo lutava para manter a ordem e garantir as condições necessárias para que a humanidade sobrevivesse até que um novo lar pudesse ser encontrado.
Em um canto de Vênus, um povo mantinha tradições milenares; era o Clã, e dele nasceu Artemísia.
Em um universo sem esperança ela tenta encontrar uma forma de viver eternamente.
A história se passa em um futuro muito distante. Artemísia nasceu em Vênus, em uma sociedade patriarcal extremamente machista e, por isso, viviam isolados, pois as questões que envolvem o gênero e a sexualidade já haviam sido superadas pelo resto da humanidade.
Após fatos que marcaram a infância de Artemísia, ela se vê sozinha no Sistema Apolo e acaba se tornando uma guerreira mercenária que vive várias aventuras e várias tragédias, e nesse contexto ela tenta encontrar uma razão para sua existência.
No livro você encontrará aventuras, ação, fantasia, filosofia, romance, mitologia, enfim, é uma obra muito rica e que apresenta questões subjetivas, que tem o objetivo de convidar o leitor a refletir sobre os rumos que nossas vidas tomam no nosso dia a dia. É uma obra de ficção, mas que tem a pretensão de tocar o leitor, de alguma forma.

Fui tomada por uma reflexão impressionante, esse livro é mais do que uma simples estória de aventura e romance, sua narrativa é extremamente comovente que alem de prender o leitor nos leva uma tremenda reflexão sobre a humanidade.

Neste livro, conhecemos a estória de Artemísia, onde ela sai em busca do significado da sua existência, um luga para se encontrar. Artemísia é uma mulher forte, mas cheio de traumas e fantasma do seu passado, viveu uma infância conturbada em sociedade extremamente machista, com conceitos antigos onde de gênero e sexualidade não se discute. Artemísia se tornou uma grande guerreira, mas seu coração foi endurecido por contas de seus traumas passados, se tornou uma mercenária com uma reputação que se procedeu por longo de sua vida.

Depois de uma longa batalha, guerras e destruições, Artemísia decide a então buscar a sua verdadeira essência e seu propósito de vida o que faz partir então para uma missão mais para o lado espiritual, onde é preciso de se conhecer interiormente e aprender as lições da vida para se desapegar de seus traumas e fantasmas, se abrir para o novo, com isso ela passa por vários templos onde muitos sábios a abrigam a fim de ajudar em sua missão. A cada passo ela encontra novas perceptivas e um novo olhar, conhece e aprende sobre o passado, mas ainda não consegue se libertar do ódio por seus pais, dos costumes no qual foi criada. Artemísia foi criada para não acreditar no amor ao próximo e ainda teme amar e ser amada o que faz passar por lições bem árduas durante a sua caminhada.

"Você conhece, há muito tempo, o ódio e as mágoas; mas jamais experimentou o amor. Embora anseie profundamente vivenciar tal sentimento, seu coração teme descobrir que ele existe; mas lhe foi negado durante toda a sua vida. Isso a faria sentir-se inferior aos demais, por isso prefere acreditar que ele não existe, nem para você, nem para ninguém. Imaginar o amor é uma falácia lhe conforta o coração." Cap. 01 pag. 32.

O mais interessante são as lições que a personagem passa, pois podemos sempre levar isso para nós leitores, ensinamentos que nos fazem refletir sobre a nossa sociedade. A autora mesclas muitas coisas na estória, começando pela mitologia grega e mitologia ignígena onde a personagem tem o poder de hospedar em seu corpo as divindades, mostra que precisamos nos colocar sob o olhar do outro e nos permitir conhecer seu lado da estória, mostra que muitas vezes é preciso passar por crise e tribulações para aprender a ser forte.   

A autora possui uma escrita única, uma estória rica de conhecimento em forma de fantasia, nos comove e nos prende do início ao fim. Mesmo ele sendo o segundo volume, não me senti perdida, pois as estórias não seguem uma continuação de onde parou exatamente, vi referencias ao primeiro livro mas é só isso, segue o mesmo estilo de estória, mas apresentando uma nova personagem.

 Uma estória carregada de cultura, principalmente da cultura brasileira que tem se tornado esquecida por muitos, temas que podem ser considerado polêmica para alguns, mas a verdade é, muitas pessoas ainda estão apegadas ao tradicionalismo, a questões de gênero e sexualidade para decidir quem é mais superior que o outro, mostra que ainda existem seres humanos na nossa sociedade que possuem metes fechadas e alienadas a ponto de não reconhecer que somos todos iguais independente de raça, cor, idade e gênero, e posso te dizer com todas as letras, a autora me impressionou e senti a mensagem no qual ela gostaria de passar através de seu livro. 

Espero que tenham gostado e desperte em você a curiosidade em conhecer melhor este livro, te garanto que não irá se arrepender, muito pelo contrário, irá amar a ponto de não desapegar desta estória.

Post feito pela Nathy.




Post válido para o Top Comentarista de Janeiro

Comentários via Facebook

6 comentários:

  1. Amei a resenha, Nathy! Fico mto feliz por vc ter tocado nos pontos principais da história, ou seja, a questão de que todos nós temos o msm valor e da importância da nossa cultura para o nosso desenvolvimento. Show!!! Bjão!!!

    ResponderExcluir
  2. adoreiii a resenha,simplesmente perfeito
    já conhecia esse livro, é superrrrrr interessante ;)
    Um livro sensacional e lindoooooooo

    ResponderExcluir
  3. Essas resenhas aqui cada vez mais perfeitas! e esse livro então... Queroooo ler, já vai para a Withlist de 2016. Bjokass

    ResponderExcluir
  4. Livro bom aquele que nos prende e nos faz viajar em quanto lemos e esse eo tipo de livro que faz isso Imprecionante adorei a resenha ja quero

    ResponderExcluir
  5. Se tem um gênero que não me canso de ler, é a FANTASIA!
    Pois nunca são cheios de clichês como os romances (que alias, eu amo também).
    Este livro faz parte daqueles que são continuações independentes. Já li um livro que é assim se chama "A garota que eu quero" e assim como você, não me senti perdida!

    ResponderExcluir
  6. Esse livro parece ser muito profundo, e assim como você falou, com diversas reflexões sobre a vida real, mesmo sendo um livro de fantasia. Gostei muito de sua resenha, parabéns \o/

    Abraços,

    Blog Decidindo-se \o/

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por