5 de fev de 2017
Por Nathália Bastos

Indicando Filme/ Meu Pé Esquerdo

Título: Meu Pé Esquerdo
Data de lançamento30 de março de 1990 (Brasil)
DireçãoJim Sheridan
AutorChristy Brown
PrêmiosOscar de Melhor AtorOscar de melhor atriz coadjuvante.
RoteiroJim SheridanShane Connaughton
Sinopse: Ninguém esperava muito de Christy Brown, o menino de uma família humilde de operários irlandeses, que nasceu com paralisia cerebral. Apesar de tetraplégico, um evento milagroso ocorre quando, aos cinco anos, ele demonstra o controle de seu pé esquerdo e usa giz para rabiscar uma palavra no chão. Com coragem, determinação e a ajuda da mãe, Christy, ele supera as limitações físicas e torna-se pintor, poeta e autor.


 “Meu pé esquerdo” retrata a história real de Christy Brown, um deficiente físico e portador de paralisia cerebral, demonstrando que na época não tinha o esclarecimento que hoje temos acerca desse atraso no desenvolvimento motor e mental fazendo com que o próprio sofresse muito preconceito, essa deficiência lhe impedia de movimentar praticamente todo o seu corpo, exceto seu pé esquerdo, com uso de técnica da logopedia, fez com que ele pronunciasse melhor as palavras, com todos esses avanços ele alcançou o reconhecimento de sua família e notáveis realizações na arte e na literatura, ele escreveu o livro “My Left Foot” (Meu Pé Esquerdo) e que deu origem ao filme de mesmo nome, percorreu uma fascinante trajetória de vida, conseguindo vencer vários obstáculos com a ajuda de sua mãe e irmãos, foi capaz de se auto-sustentar e sustentar sua família, ele superou o desprezo do seu pai autoritário e incompreensível e junto com seus 13 irmãos conseguiu avançar e alcançar o reconhecimento não só da sua família como de toda uma sociedade. A história de Christy é um convite à reflexão e conscientização, pois nos ajuda a compreender as dificuldades e as necessidades de quem tem algum tipo de deficiência, nos convidando ao respeito e alteridade dos deficientes, e também ao conhecimento da plasticidade cerebral.


A mãe, determinada a ajudá-lo, passava todo o tempo com ele, brincando e cuidando mesmo enquanto grávida, o que a forçava até mesmo a carregá-lo nas costas – e isso quase a matou. Ela economizava dinheiro escondido para comprar uma cadeira de rodas para o rapaz e, depois de crescido, foi ela que foi buscar acompanhamento médico para ele ao perceber que ele podia fazer pinturas com o pé esquerdo e falar, entendendo o que estava acontecendo ao seu redor e não apenas sendo uma pessoa inválida como os outros o consideravam, inclusive seu pai. No começo, ele rejeita a ideia por achar que só há crianças no hospital, mas a doutora Eileen prossegue com suas atividades e insiste em ajudá-lo, atendendo em casa e usando sua terapia para ensiná-lo a conversar e desenvolver seus talentos. Graças as suas pinturas, conseguiu se manter e manter a sua família – e graças aos seus esforços e suas demonstrações de inteligência, conquistou e se casou com sua enfermeira.

Saber que nossos neurônios são capazes de migrar para áreas cerebrais “vazias” e que continuam nascendo todos os dias sob a influência de fatores de crescimento, medicamentos, atividade física e desafios intelectuais é alentador para os que temem a perda do domínio das faculdades mentais no fim da vida.
         Christy Brown nasceu em 5 de junho de 1932 e faleceu em 7 de setembro de 1981. De nacionalidade irlandesa, foi escritor, artista plástico e poeta, casou-se com sua enfermeira, Mary Car, em 5 de outubro de 1972.

         Um filme super emocionante!!

Post feito pela Lizi Reis.



Post válido para Top Comentarista de Fevereiro 

Comentários via Facebook

20 comentários:

  1. Oi Lizi, ainda não tive a oportunidade de ver esse filme, mas pelo que li no post ele parece ser emocionante e nos trazer uma lição de vida muito importante, não devemos colocar limites na capacidade do ser humano. O protagonista conseguiu se superar e com a ajuda da mãe se tornar um artista bem sucedido na vida profissional e pessoal, uma verdadeira lição para todos nós que muitas vezes queremos desistir frente a pequenos obstáculos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Lili. Uma lição e tanta!!

      Excluir
  2. Oi Lizi, tudo bem?
    Nossa que história emocionante. É muito lindo ver as pessoas superando os obstáculos, ele me lembrou muito um cantor chamado Toni Melendez que toca violão com os pés, pois nasceu sem os braços. Este livro deve ser muito bonito mesmo.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Lara! Tudo legal... e por aí?
      Dei uma pesquisada aqui e realmente a história desse cantor deve ser muito emocionante também. Beijo!!

      Excluir
  3. Lizi que lindo!
    Emocionante msm...E tantas pessoas reclamando ao invés de superar!
    Qro ver!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Aline! E é muito emocionante... beijooo

      Excluir
  4. Eu não sabia dá existenvia do filme muito menos que tinha um livro, mas não deixa de ser impressionante como ele superou tudo. Eu posso dizer que lendo sua resenha fiquei feliz que na verdade ele não estava sozinho, que sua mãe e seus irmãos não abandonaram ao contrário do pai, foi o apoio dela que também ajudou. Eu particularmente não leio muitos livros assim mas minha mãe gosta desse tipo de leitura então irei indicar pra ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O apoio da família é realmente muito importante, né? Indica mesmo pra ela e depois pergunta o que ela achou para nos contar!

      Excluir
  5. Nunca fui fã de filmes ou livros que tratem de biografias então mesmo parecendo emocionante ainda estou na dúvida se assistiria ou não

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho esse bloqueio, mas acho que para esse é até fácil "se abrir", conquista você e você só percebe quando acaba, rs.

      Excluir
  6. Lizi,que filme emocionante!
    Além da força de vontade de Christy,temos que bater palmas para a sua mãe, que lutou e sofreu junto com o seu filho.
    E que bom que todos os esforços tenham sido reconhecidos. 😊

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Jan. Mãe é mãe, não? <3
      Os esforços sempre serão reconhecidos, é só esperar...

      Excluir
  7. Olá, gosto bastante de filmes que se tratam de assuntos relevantes na sociedade, é interessante saber das dificuldades nos tratamentos de deficiências e doenças naquela época. Sem dúvidas é uma história comovente. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Lizi!!
    Que filme mais emocionante!! Fiquei profundamente tocada por conhecer essa história!! Sem dúvida é uma excelente indicação de filme e um grande ensinamento para todos nós!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom espalhar essa comovente história! Beijosss

      Excluir
  9. Oi Lizi...
    Adorei a dica do filme... Realmente parece ser muito emocionante... Vou ver se encontro para assistir em breve.... Um filme que promete trazer lições para levarmos para a vida toda...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá para encontrar no YouTube (imagem não muito boa). Assiste e me diz o que achou! Beijão

      Excluir
  10. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro bem esse filme, mas parece ser mesmo muito emocionante, essa também é uma historia que acaba nos expirando muito, pois mesmo com tantas dificuldades o Christy teve determinação para enfrenta, linda historia !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Suzana. Uma linda história! Anota aí a indicação, beijos...

      Excluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por