3 de ago de 2017
Por Nathália Bastos

O Que Me Disseram as Flores/ Alane Brito

Título: O Que Me Disseram as Flores
Autora: Alane Brito
Gênero: Romance/Drama
Editora: Arwen
Páginas: 392
Avaliação: 5/5
Sinopse: Presa a uma promessa feita por seu pai, Ângela decide desafiá-lo a aceitar que não é vontade dela se casar com alguém que conhecia apenas através de cartas. Deixando-se levar por uma mentira, William viaja até a prometida, acreditando encontrar uma moça tão apaixonada quanto ele. Entretanto, depara-se com a força da raiva de alguém com quem sonhava passar o resto de sua vida. Por conta do grande amor que aprendeu a nutrir por ela, decide, então, lutar para conquistá-la. Usando a linguagem das flores para se declarar e, cada dia, se revestindo de uma força descomunal para suportar as palavras afiadas e suas duras atitudes, ele tenta encontrar uma maneira de fazer com que o ódio, que ela tanto demonstra sentir, se transforme em algo bom, mas para isso ele mesmo precisa continuar acreditando que é possível... Um grande amor é realmente capaz de suportar tudo? Conheça a emocionante história de duas pessoas numa mesma batalha, mas que lutam por desfechos diferentes. E que vença o mais obstinado.


Ninguém lhe podia mostrar como seria de fato o seu futuro.

 Um romance arrebatador, lindo, mas ao mesmo tempo triste também. Esse é um verdadeiro romance, que além de nos arrancar suspiro, ele também nos deixa tenso, com raiva e até mesmo triste, quase me desidratou por completa, e eu não poderia deixar de falar dele, pois uma coisa que ele em ensinou é: o orgulho nos cega, faz com que deixamos de enxergar a verdade e nos torna pessoas amargas. E convido vocês a conhecerem esse romance, ambientado na década de 30, mas com uma história de amor de perdura séculos.

Uma promessa feita antes mesmo de os pais de Ângela se casarem, onde seu pai e seu melhor amigo decidiram que sua amizade perduraria gerações, onde seus filhos seriam prometidos a casamento, isso é: se um tivesse um menina e o outro um menino, ambos deveriam ser prometidos a casamento um com o outro. Mas, isso não saiu exatamente como planejado, no início Ângela e Willian trocavam cartas, nunca se viram, apenas se conheciam por meio das cartas, mas para Ângela isso era besteira, pois ela não nutria nada pelo garoto e seu interesse era pelo irmão de sua melhor amiga, Filipe, com quem até namorou - escondido dos pais claro- até que seu pai diz que já estava na hora de Ângela e Willian se conhecerem e noivarem. 

Determinada a desafia seus pais, Ângela decide que fará de tudo para que Willian a odeia e desista da ideia do casamento, mas, Willian é mais determinado e decidiu que não iria embora sem ao menos tentar conquista-la. Absurdos acontecem quando alguém esta tão focado a mostrar aquilo que não é só para afastar as pessoas, e foi que Ângela veio fazendo, ela tentou todas as artimanhas para magoá Willian, mas ele, mesmo sendo machucado aos poucos não se deu por vencido, com isso ele passou a entregar a ela todos os dias uma rosa, cada dia uma diferente, onde cada um tinha um significado, mas Ângela se tornou uma pessoa tão fria que fazia questão de jogar as rosas fora na cara dele. 

Por mais que eu tratasse mal, ele retribuía com algo amável.

Como que alguém consegue se tão determinado e paciente para mostrar seu valor a uma pessoa que não faz a mínima questão de ver isso? É isso me deixou intrigada, Willian é um garoto tão bondoso que mesmo sabendo das intenções de Ângela ele fazia questão de mostrar sua paciência, sua determinação e sua bondade, Ângela fez com ele reconstruísse o seu jardim, para que pudesse prolongar a tal noivado, Ângela foi capaz de até sair com um outro rapaz na frente dele, mesmo todos dizendo que ela era prometida a casamento a Willian.

Não conseguia deixar de amá-la, não podia, não conseguia controlar isso. Via-se sim egoísta, pois temia demais a dor de perdê-la. Não queria, não aceitava ter que abrir mão dela. Precisava conquistá-la!

A cada ação, a cada tramoia que ela aprontada com Willian doía meu coração, é claro que depois de tanto ele mostrar que amava acima das coisas que ela fazia a ele, depois um bom tempo, Ângela foi reconhecendo seu valor e se apaixonando por ele, mas, como seu orgulho era muito grande, ela não admitia isso, demorou um bom tempo até que ela viu que ele decidiu a não cumpri com a promessa feita pelo seu pai e deixar-la. É como muitos dizem: você só reconhece e dar valor quando você perde, e foi o que ela sentiu a ver Willian desistindo dela, e é quando ela acorda e se vê entre deixar seu orgulho cegando o seu sentimento e deixá-lo partir ou deixar seu orgulho de lado e correr para os braços do seu amado.

Eu simplesmente não tenho palavras para descrever o quanto esse livro mexeu comigo, o quanto eu chorei, a minha vontade era de dizer: larga essa idiota e vem pra mim. Mas, por outro lado, a autora fez questão de mostrar o quanto orgulho faz mal, o quanto esse sentimento fere a alma. 

E claro, não poderia deixar de dizer o quanto a escrita de Alane me surpreendeu, logo de inicio o livro já me prendeu, eu ficava ávida por saber o que iria acontecer que quase nem dormia - tanto que terminei o livro no dia da quadrilha na minha igreja kkk me escondi pra terminar antes de me apresentar -, não sei como falar da diagramação, visto que li ele em ebook, mas creio que o físico deve ser lindo. Alane conseguiu descrever muito bem o cenário, que passa no interior de São Paulo, e principalmente sobre os ambientes e costumes da época, visto que o livro se passa na década de 30, narrado tanto entre terceira pessoa e primeira pessoa, alguma partes são do diário de Ângela o que é interessante pois mostra pontos em que a narrativa não conta.

Enfim, eu super mega recomendo a leitura, não somente pelo bom romance, mas porque ele tem muito a nos ensinar. A Alane não é minha parceira, mas eu amei conhece-la, amei conhecer uma de suas obras e não poderia deixa-la de elogiar, espero que faça mais livro assim. 

- Acho que me dei conta de que, antes de julgar que algo não é bom pra mim, devo dar uma oportunidade para que me prove o quanto pode ser especial. Nunca saberemos a capacidade que tem que tem de nos conquistar até que permitimos que mostre. 

Comentários via Facebook

2 comentários:

  1. Que resenha maravilhosa, Nathália! Nossa, estou encantada! *o* Fiquei feliz demais por saber que a história mexeu tanto com você, que compreendeu a mensagem que eu quis passar, isso é maravilhoso! Muuuuuito obrigada por ter lido meu livro, muuuuuuito obrigada por suas palavras!!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela linda resenha, Nathy!
    Quero esse livro *-*
    Eu sempre via a capa dele e me encantava, porém nunca parei para ler a sinopse.
    Realmente fazemos muito por quem amamos, mas se não há retribuição não vale a pena.


    Minha Fuga da Realidade

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por