5 de mar de 2018
Por Nathália Bastos

Entrevista/ Naiara Aimee

Agora é a vez da entrevista com Naiara Aimee, autora de Tudo o Que Mais Importa, publicado pela Editora UPBooks e também de diversos outros livros e contos publicados de forma independente no Amazon e na Wattpad.

Vamos conhecer-la mais um pouco! Ah, tem perguntas de outras leitoras, então você verá o nome delas acima das perguntas ok 😍

Sobre a autora: 


Naiara Aimee, nascida em 1992, estudante de Letras, é paulista e aos 11 anos descobriu o amor pela escrita. Ama clássico e suas autoras favorita são as irmãs Brontë e Jane Austen. Além de contos Estela e a Fera e Assim Como És, publicados no Amazon, Naiara também compartilha suas obras na plataforma online Wattpad.


Nathália Bastos
1- Naiara, para começar, me conte um pouquinho sobre como surgiu essa vontade de escrever? Fale para nós a sua trajetória de escritora até hoje.
Naiara: Eu sempre gostei de escrever desde novinha. Eu criava contos e os escrevia em qualquer papel que achasse pela frente. Com onze anos escrevi meu primeiro “livro”, que era uma aventura teen. Mas pegar firme na escrita e vê-la como algo sério, somente quando fiquei mais velha.

2- Quais são os maiores desafios que você já enfrentou, ou enfrenta ao escrever algum livro/conto?
Naiara: Meu maior desafio é com certeza o bloqueio. Eu tenho grandes períodos de bloqueio e mesmo lendo, ou vendo séries e filmes relacionados ao assunto que estou abordando, é um pouco complicado para eu imaginar uma situação e passá-la para o papel.


3- Naiara no seu último conto publicado, Assim Como És, você deixou uma nota dizendo que quase desistiu dele, que praticamente o abandonou achando que ninguém iria ler por se tratar de um personagem diferente. Hoje, vendo o impacto que ele vem causando, como você se sente em ralação a isso? E se caso você realmente tivesse o abandonado de vez, qual seria o maior sentimento que ficaria em você?
Naiara: Primeiro preciso dizer que amo a Rebecca e o que ela representa, e quando surtei, não foi por não confiar na diferença da minha personagem, mas por uma gama de outros fatores. Assim que terminei de escrever o conto, acreditei mesmo que ninguém iria dar atenção a ele porque o enredo em si não era bom e minha escrita também. Hoje em dia fico feliz por ter arriscado e o colocado no wattpad (atualmente na Amazon), porque tenho recebido depoimentos bem emocionantes. Acredito que se não tivesse me dado a chance de que as pessoas conhecessem meu trabalho, provavelmente eu não teria conquistado no mundo literário nada do que conquistei até agora. Assim Como És foi meu ponto de partida para todo o resto.

4- Já sei que Jane Austen é sua maior inspiração, existem mais autores além dela que você usa como fonte de inspiração?
Naiara: Eu amo Jane Austen e quando escrevi meu primeiro romance de época, realmente muito da minha inspiração veio dela. Mas confesso que depois que descobri as irmãs Brontë, em especial a Charlotte, que é a minha preferida, tenho tentando seguir mais “seus passos”. Mas também gosto muito da Elizabeth Gaskell, embora só tenha lido três contos dela, Georgette Heyer, que é mestre da escrita e José de Alencar.

5- O que você nunca, na sua vida como escritora, achou que poderia vir a te acontecer? Pode ser algo ruim ou bom.
Naiara: Eu nunca pensei sobre isso, de verdade. Já lidei com muitas situações como uma vez em que uma pessoa veio exigir que eu tirasse Assim Como És do Wattpad, porque eu estava plagiando outra obra. Tenho muito cuidado com o que escrevo, então foi um baque para mim que, de primeiro
momento, me deixou muito chateada, mas, como eu disse, tenho muito cuidado com o que escrevo, e por isso minha consciência está bem limpa.

6- Pelo que já li de suas obras, você ama escrever um bom romance, você já escreveu algo que não fosse romance ou pensa em escrever algum gênero diferente, se sim, qual?
Naiara: Eu comecei um livro de ficção científica e estava realmente amando escrevê-lo. Parei porque não estava conseguindo conciliar com Tudo o Que Mais Importa, que era minha prioridade no momento. Mas tenho planos de voltar para ele, inclusive não faz muito tempo que estava cogitando a hipótese de repostá-lo no Wattpad, já até fiz capa nova e tudo!

7- Segundo muitas pesquisas (minhas pesquisas que vi quando estava iniciando o meu tcc), percebi que ainda existem pessoas que possuem um grande preconceito em relação a literatura nacional. Como escritora e também como leitora, nos conta a sua opinião sobre o mercado editorial brasileiro, como foi para você entrar e conquistar leitores?
Naiara: O mercado editorial brasileiro é uma vergonha (minha opinião). Uma grande editora publica cinco ou seis autores nacionais e acha que já está fazendo muito pela literatura nacional, quando ela publica mais de cem autores lá de fora. É difícil até mesmo para aqueles que têm algum sucesso na Amazon. Acho que para nós autores o que traz leitores, além de uma boa escrita, é o tempo e o quanto você investe na divulgação.

8- Naiara você escreve romances com princípios e conceitos cristãos, diferente do livro Tudo o Que Mais Importa, os contos como A Estela e a Fera e Assim Como És o leitor precisa ler mais nas entrelinhas e perceber esses princípios, a sua intenção é fazer com que todos os leitores possam ler, sem exceção alguma, mas, você já se sentiu receosa com o fato de escrever um romance que não seja hot? Você define seus livros como romance/ficção cristã?
Naiara: Olha, não vou dizer que já tive receio de não escrever hot, mas já pensei que se talvez eu escrevesse algo mais picante, com certeza alcançaria muito mais pessoas, teria muito mais leituras e gente interessada nos meus livros, porque a realidade é que hot faz muito mais sucesso que as histórias que não têm essa pegada. Mas eu fico bem feliz quando alguém me elogia exatamente pelas minhas obras serem suaves, então é uma escolha da qual eu me orgulho bastante. Não sei se chego a definir minhas obras como ficção cristã, pois, como você disse, meus romances têm os princípios e conceitos cristãos, mas é tudo jogado para o leitor de uma forma muito suave. Mas tento sempre passar aquilo que acredito. Até na minha tentativa de ficção científica fiz questão de colocar minhas crenças.

9- Para fechar aqui a minha parte, conte para a gente alguma novidade. Vêm mais livros e contos por aí? Há alguma possibilidade de vir a ter continuação de Tudo o que Mais Importa? Quais são os projetos que você esta preparando?
Naiara: São muitas novidades para 2018. Pode contar todas? Bom, lá vai:
Primeira: Talvez lá para o meio de Junho, nós tenhamos Assim Como És em formato físico. Não vou contar ainda por qual editora, porque quero esperar que ela se pronuncie primeiro. Mas acredito que em breve vou poder revelar. Fiquem atentos às minhas redes sociais.
Segunda: Em breve (talvez ainda esse mês) irei lançar Como Nunca Imaginei (antigo No Tempo do Amor) na Amazon. Essa de fato é uma ficção cristã, que aborda relacionamento inter-racial,
perdão, força e muitos outros assuntos importantes. Confesso que estou bastante ansiosa para terminar a revisão dele e ver como será recebido pelas pessoas.
Terceira: Estou escrevendo meu primeiro Young Adult. O nome dele é Quase Doce, e o prólogo e o primeiro capítulo já estão disponíveis no wattpad. A história é um pouquinho mais pesada que as que eu costumo escrever, pois vai abordar o tema “relacionamento abusivo’.
Quarto: Estou escrevendo o terceiro livro de uma trilogia intitulada: trilogia casamenteiras. O primeiro livro é “Um Conde Para Minha Amiga”, da Tânia Picon e o segundo se chama “Cativo de Uma Condessa”, da Katherine Salles. Ambos já estão disponíveis na Amazon. O meu será o terceiro e irá se chamar “As Asas da Condessa”. A história vai se passar no final dos anos 40. Será um romance pós Segunda Guerra Mundial, e irá contar a história de uma mocinha que quer aprender a pilotar um avião e tem aulas com um piloto que fora das Forças Aéreas e combatera na guerra.
Sobre as continuações de Tudo o Que Mais Importa, pretendo escrever o segundo livro que será da Kimberly e talvez também da Kristen, mas é provável que ele não tenha a mesma pegada de TQMI. Também tenho planos para escrever um spin-off da Annabelle e esse sim será mais parecido com TQMI. Entretanto, não sei se esses serão para esse ano de 2018. Por enquanto, estou mais concentrada nos demais projetos.

↜↝

Aqui são as perguntas que alguns leitores para a Naiara


Débora Santana:
Obs.: as perguntas da Débora são todas em relação ao livro Tudo o que Mais Importa.

1- Qual sua cena favorita em todo o livro?
Naiara: Acho que não posso falar minha cena favorita porque seria spoiler. Mas, para quem já, posso dizer que é quando a história sofre uma grande reviravolta.

2- Qual parte do livro foi a mais difícil em escrever?
Naiara: O livro inteiro foi muito difícil de escrever hahaha! Mas acho que os últimos capítulos foram os mais complicados.

3- Você demorou a se adequar ao estilo de escrita que se deve ter em um livro de época (com o estilo de vida das personagens e seu vocabulário)?
Naiara: Correndo o risco de soar um pouco pedante, não senti essa dificuldade. Quando eu comecei TQMI lá atrás, eu só lia romance de época e clássicos. Então, era bem natural para eu escrever de uma forma mais formal. Agora, se a pergunta fosse feito para os dias de hoje, acredito que teria mais dificuldades, pois não tenho mais o hábito de ler esse gênero.

4- Você tem planos para escrever outros livros, sobre outras personagens de "Tudo o que mais importa"?
Naiara: Tenho sim, só não sei quando isso vai acontecer, pois no momento estou focada em outros projetos que não estão ligados a TQMI.

5- Se pudesse viver na pele de alguma das irmãs McCarthy, qual seria? Você escreveu seu livro já pensando em torná-lo cristão ou foi algo que veio com o tempo, essa vontade de expor uma mensagem?
Naiara: Nossa, não gostaria de viver na pele de nenhuma delas hahaha! Quando escrevi a primeira versão de TQMI eu queria ser uma espécie de Julia Quinn e não tinha intenção de que esse fosse um romance cristão. Mas, depois de ler Amor de Redenção da Francine Rivers, fiquei inspirada e decido que ao reescrever a história ela teria essa pegada.


Lídia Rayanne:
1- Qual foi sua inspiração para escrever "Tudo o que mais importa"? Como foi seu processo de escrita? Qual o seu personagem favorito?
Naiara: Essa história tem muito tempo, então minhas primeiras inspirações foram A Rosa do Inverno, da Patricia Cabot e Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Quando decidi reescrevê-la, eu já tinha lido mais livros e me baseei um pouco na escrita da Charlotte Brontë, que é minha autora favorita. Meu processo de escrita basicamente foi sentar e escrever e pesquisar muito para não cometer gafes. Sobre personagem favorita... Posso citar duas? Por favorzinho? Bom, minha personagem favorita das favoritas vai ser sempre a Jane. Ela é perceptiva, sábia e centrada, muito madura. Eu queria saber dar respostas como ela, porque Jane sempre tem algo na ponta da língua. Agora, minha outra personagem favorita é a Kimberly. Ela passou por dificuldades e sonha com algo melhor e isso muitas vezes acaba deixando-a cega para algumas escolhas. Muita gente não gosta dela, porque ela é de fato egoísta e ambiciosa, mas a Kim é aquele tipo de pessoa que muitas vezes erra sem perceber o tamanho da mágoa que vai causar no outro e, quando se dá conta de que suas atitudes feriram alguém que ela ama, ela sente o que fez. Ela ama muitos as irmãs e acho que isso se comprova em um de seus atos, que não vou dizer aqui para não dar spoiler, mas ela abriu mão do seu egoísmo porque sabia que a irmã era o mais importante. Ela é muito humana e quero mostrar isso no livro dela.


Rebeca Maria:
1- Sabemos que você é autora do wattpad e que está com uma história nova por lá. Qual foi, ou quais foram às inspirações que te motivaram a criar Quase Doce?
Naiara: A primeira inspiração para escrever QD foi que, depois de escrever Sem Canção, que não é uma história tão profunda, eu queria criar algo mais reflexivo. A segunda foi a série Os 13 porques. E, por último, acho que Colleen Hoover também influenciou. Depois de ler tantos livros YA/NA senti que estava na hora de arriscar algo novo.

↜↝

Nai, muito obrigada por ceder um tempinho e aceitar ser entrevistada, você se tornou uma das minhas autoras favoritas, desejo de todo o meu coração, o maior sucesso para você e que nunca, nunca pare de escrever e de nos dar essas histórias maravilhosas. 

Espero que tenham gostado da entrevista, se quiser perguntar mais alguma coisinhas, podem deixar aqui nos comentários que ela vem aqui responder vocês 😉

Comentários via Facebook

2 comentários:

  1. Eu é que agradeço pelo convite! Amei demais responder a essa entevista ❣

    ResponderExcluir
  2. Olá Nath!!!
    Amei conhecer muito mais a Naiara e sim os livros dela estão na minha lista de livros que quero ler.
    Sabia que não era impressão minha ao pensar em "Orgulho e Preconceito", enquanto lia a resenha!!!
    Aaaaaaaa!!! Amei saber que ela ama Austen e as irmãs Brontës quesão minhas paixãozinhas também.
    Naiara simplesmente incrível *-*

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por