4 de set de 2018
Por Lizi Reis

PRIMEIRAS IMPRESSÕES / O OLHO DO INFERNO - TORI VEIGA

Título: O olho do inferno
Autora: Tori Veiga
Editora: Sekhmet
Gênero: Ficção
Páginas: 290
Avaliação: 4/5
Sinopse: Há séculos, Puriel, descendente de Caim, destruiu e aprisionou os cavaleiros do Apocalipse, libertando a humanidade da fome, peste, guerra e morte. Sua vitória tornou-se um fardo, na medida que a paz da humanidade está sob sua guarda. Agora, seu sumiço desencadeou uma guerra iminente. Céu e Inferno estão atrás de Annapiel, garota sem passado e sem perspectiva de futuro, que trabalha apenas para alimentar suas bebedeiras, mas que é a única e derradeira arma capaz de torná-los vitoriosos.




"O Senhor, porém, disse-lhe: Portanto qualquer que matar a Caim, sete vezes será castigado. E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que o não ferisse qualquer que o achasse. - Gênesis 4:15"
          A história começa com os anjos Miguel e Abaddon tomando o corpo de Adão e Eva para consumar o amor que era impossível nos céus, e deste amor surge Caim que é amaldiçoado e sofre muitos castigos físicos, logo após nasce Abel que é tratado melhor do que Caim, e é designado para pastorear as ovelhas, serviço bem melhor visto do que o de Caim, que era trabalhar de sol a sol nas lavouras.

          Daí temos toda aquela história de Caim matar Abel, que é expulso do Éden com o um sinal para que ninguém o pudesse ferir, e daí ele passa a habitar na terra de Node. Esse sinal foi passado por gerações até os dias atuais. Prólogo interessante, com um quê de mistério com esta mistura de algo religioso.

         No primeiro capítulo, começando de uma forma enigmática com vultos (interessante as escolhas de nomes desses vultos/demônios) torturando uma humana é bem interessante, dá vontade de entender e saber o que está acontecendo. Logo após percebemos que se trata de um sonho (pesadelo, né) de uma personagem que se chama Anna, que passou a sua infância em um orfanato e desde os 18 (ela tem 22) trabalha no bar da esquina, e também conhecemos Diana (uma colega de trabalho folgada).

          No capítulo seguinte vemos que Anna sofre com devaneios (ou não) psico-religiosos, e isso fica mais evidente na cena em que ela acredita ter visto alguém entrar no bar, conversar com esta pessoa, e sua colega Samantha a repreender por estar falando sozinha, daí ela sai do bar feito louca atrás desta pessoa que jura ter visto e acaba parando num tipo de ritual/interrogatório/tortura sádico e decide dar uma de corajosa e salvar o homem com uma oração que (que bom!) tem a tradução no rodapé.

           Gostei muito da ideia do livro, acredito que pode se tornar uma ficção (ou terror) digno! Achei muito interessante os rodapés, é muito importante a bagagem de conteúdo e conhecimento para este livro em específico, só devemos ter cuidado para não ficar muito longo e cansativo, senão as pessoas acabam por pular e acho que é muito interessante tudo ser lido. Gostei muito também das divagações e pensamentos em itálico. Tive dificuldades com a identificação no texto, se se tratava da 1ª ou 3ª pessoa do singular e também acho que os detalhes podem ser trabalhador mais profundamente... detalhes de ambiente, tempo, figurino, etc., para que o leitor consiga imaginar toda esta história fascinante!

Comentários via Facebook

3 comentários:

  1. Olá Lizi!!!
    Fiquei super curiosa com esse livro assim que li a nota colocada no início da sua impressão e me vi perguntando se esse homem que a personagem encontra não é o próprio Caim??
    Estou bastante curiosa pela história e já estou vendo colocando a mesma na minha lista de livros que quero ler.
    Espero logo ver sua resenha sobre o mesmo ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por