3 de dez de 2018
Por Duda_ Conti

Textinhos da Duda / Você





A gente se conheceu assim meio que do nada, um amigo de uma amiga que eu conheci por aí. Quando te vi você não tinha cara de que iria fazer parte da minha vida, parecia mais um cara comum que ia me esquecer no outro dia. Se eu soubesse naquele dia a bagunça que você iria fazer por aqui, eu juro que teria sorrido para você naquela noite. 

Não nos falamos muito aquela noite e nem nas outras que eu trombava com você, sei lá, você olhava para mim como se tudo o que eu fizesse ou dissesse te irritava (mais tarde eu descobri que sim, eu ri e você me beijou). Na festa do dia 25 de outubro, aquela que geral ficou bebado e a nossa carona nos deixou para trás, apesar de ter chovido e ter ido embora na chuva à pé, foi uma ótima noite, conhecer quem você era e rir das suas histórias mudou a minha vida. 

Porque a partir daquele dia você começou a fazer parte dela. 

E viramos amigos, você contava das meninas que te queriam e eu falava dos foras que eu dava, a gente ria mais estranho foi quando você me contava sobre elas e eu parei de rir, porque eu não queria que tivesse elas, queria só eu e você. Eu comecei a te observar mais, e reparar nos seus detalhes e antes, aquela jogada de cabelo sua que tanto me irritava passou a ser encantadora.

Eu comecei a reparar mais em você, no seu jeito de se vestir, de andar, em como você se estressava fácil com tudo, essa sua cara de marrento que me desmontou e no seu sorriso... Ah que sorriso, quando ele era exclusivamente para mim ficava mais bonito ainda. 

Então a gente se beijou e naquele momento foi como se o mundo ao redor tivesse deixado de existir, alguma coisa dentro de mim dizia que não era uma boa ideia, que de alguma forma você iria destruir meu coração, mas eu não me importei porque ter meu coração quebrado por você seria uma honra. 

Aí a gente brigou, por besteira, porque os dois não pensam antes de agir; você me disse para eu te esquecer, eu respondi que era isso o que eu faria, mas você sabe bebê eu faço tudo errado, não consegui te esquecer. Pensava em você todos os instantes do meu dia, como você estava, o que estava fazendo, com quem estava; eu te vi andando pela rua e meu Deus, que vontade de te abraçar. 

Logo a gente voltou a se falar e mais próximos do que antes, já não era amizade mais também não era amor, era uma parada mais daora. Era aquilo que só a gente tinha, do nosso jeito torto, errado e  completamente bagunçado mais era nosso, só a gente entendia. 

E foi sendo assim, você foi ficando e eu fui deixando você ficar, a minha necessidade por você foi ficando tão grande que só o dia inteiro do seu lado não bastava, eu queria mais, eu precisava de muito mais de você. 

Ainda preciso.

Eu só te peço que continue ficando por aqui, continue bagunçando tudo porque essa bagunça eu não quero arrumar, deixa assim do jeito que está. Só por favor, não desista de mim, de nós, disso que a gente tem. 

Por favor, só fica, tá bem? 

Comentários via Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por