16 de mar de 2016
Por Nathália Bastos

Cidade de Papel/ John Green

Título: Cidades de Papel
Autora: John Green
Páginas: 361
Editora: Intríseca
Avaliação: 4/5
Sinopse: Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. 
Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.
Quem me acompanha aqui no blog, sabe que eu sou apaixonada por esse livro, mas também sabe que eu faço uma pequena polemica com o final dele!

O livro fala de Quentin, um garoto que é loucamente alucinado pela vizinha: Margo Roth Spiegelman, uma garota cheia de estratégias que faz tudo com planos e é vista como uma rainha por Q.

Eles se conhecem desde os 2 anos, mas quanto mais perto a adolescência vai chegando eles vão se afastando.

Tipo assim cara... Quentin é aquele garotinho que é apaixonado pela família. Não mata aulas, tira notas altas, pensa em fazer medicina e em ter aquela família perfeita depois dos 30 anos. Nunca se mete em confusão e quer todas as confusões longe dele! Mas...- em toda aquela pessoa que tem a vida perfeita (ou pelo menos pensa que é) ou pensa em ter, sempre tem um MAS (se é que me entendem)- em uma noite depois de alguns vários meses sem conversar com Margo, a querida vizinha bate na janela de Q, aquela garota dos olhos azuis...

Ela tem um plano. A melhor missão que Margo arquitetou e pensa em cumprir naquela noite com Quentin! TUDO o que ele mais queria era que um dia Margo precisasse dele! Tá ai, ele aceita e vai...

Os dois juntos saem pelas ruas de Orlando pregando peças, ou melhor, se cobrando de sacanagens que outros fizeram pra eles. A grande Orlando se torna pequena depois de subirem no SunTrust e verem na cidade de papel por onde já tinham passado. Mas a garota não pode sair dos lugares sem deixar sua marca registrada, então em cada casa deixavam pichado um M azul, bem grande. Quando Q chega em casa, faz uma auto analise em sua noite e descobre que foi a melhor noite de sua vida.

Nos próximos dias de aula Margo a menina cheia de estrategia, torna-se um mistério...

Algumas frases que amo do livro:

“Descubro que não são fantasias despreocupadas de alguém que talvez queira que coisas importantes aconteçam a si.”

“Esse medo não pode ser comparado a nenhum medo que um dia conheci.”

“Não é um pânico como se meus pulmões estivessem sem ar, mas sim como se não houvesse ar na atmosfera.”

O livro tem uma escrita leve, difícil largar o livro! Green arrasa na escrita! Deve ter se empenhado muito nesse livro, para dar a atenção a cada detalhe para dar juntamente o suspense e o romance do livro!

Espero que tenham gostado beijão, até aproxima! Ah... não se esqueçam se gostaram da resenha, já vão lendo o livro aí...

Post feito pela Ana Eliria.



Post válido para Top Comentarista de Março


Comentários via Facebook

7 comentários:

  1. Quando comecei a Ler Cidades de Papel e li aquela parte que eles estavam no mercado, já pensei" Essa livro tem tudo para virar filme", é um livro bem divertido que ao mesmo tempo fala de coisas sérias.

    ResponderExcluir
  2. Esse livro quase me tirou o fôlego.
    Margô na Minha opinião ela só queria chamar a atenção de Quentin. Porque ela disse que não queria ser achada, mas deixou algumas pistas para que ele a encontre.
    Mas foi uma leitura agradável. Ainda não assistir o filme, mas pretendo.

    ResponderExcluir
  3. Sou obrigada concorda com você... John Green é simplesmente fantástico em sua escrita... É realmente aquela escrita envolvente, que não dá para parar de ler enquanto não chegamos ao final do livro... Ainda não li Cidades de Papel, apenas assisti ao filme... Mas tenho muita vontade de ler o livro também!!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Parece ser bem interessante a história do livro, conhecia de vista mas nunca tinha parado para ler uma sinopse ou resenha. Achei bem interessante. Nunca li nada do John Green, mas sei que ele deve ser fantástico porque tem muitos fãs por ai :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Taí um livro que não tenho vontade de ler... os livros de John Green não funcionam pra mim. Mas quero ver o filme.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  6. Confesso que achei esse livro mediano, não achei tão bom, mas também não é todo ruim. Gostei muito dos amigos do Quentin, e confesso que toda aquela obsessão do Quentin pela Margo me incomodou um pouco. Ainda não assistir ao filme, mas acho que vou gostar mais do que o livro. Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Esse é um livro que ainda não sei se irei ler assistir ao filme e gostei muito, a historia parece ser legal, mas tem alguns pontos do livro que acho que não iria gostar, mas quem sabe não acabo lendo !!

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por