22 de jan de 2017
Por Nathália Bastos

Indicando Filme / O Óleo de Lorenzo

Título: O Óleo de Lorenzo 
Elenco: Nick Nolte, Susan Sarandon, Peter Ustinov
Direção: George Miller
Studio: Universal Pictures 
Ano: 1993
Gênero: Drama
Avaliação: 4/5
Sinopse: Um garoto levava uma vida normal até que, quando tinha seis anos, estranhas coisas aconteceram, pois ele passou a ter diversos problemas de ordem mental que foram diagnosticados como ALD, uma doença extremamente rara que provoca uma incurável degeneração no cérebro, levando o paciente à morte em no máximo dois anos. Os pais do menino ficam frustrados com o fracasso dos médicos e a falta de medicamento para uma doença desta natureza. Assim, começam a estudar e a pesquisar sozinhos, na esperança de descobrir algo que possa deter o avanço da doença.



O filme “O Óleo de Lorenzo” enfoca a busca dos pais pela cura da doença do filho, por uma solução médica, eles consultam especialistas que dizem pouco saber sobre a tal doença. Os médicos chegam a uma conclusão de que o tratamento ideal seria banir gorduras dos pacientes portadores dessa patologia, uma vez que esta é causada por uma falha no metabolismo de certos ácidos graxos (um tipo de gordura), a fim de diminuir o nível dos ácidos graxos de cadeia longa que se acumulam no sangue do paciente. Mas os pais de Lorenzo observam que ao invés do esperado, a diminuição dos ácidos, ocorre o aumento dos mesmos, e eles começam a se perguntar o que está acontecendo, então os pais se entregam a um estudo aprofundado de artigos científicos e iniciam discussões com médicos e cientistas, que em sua grande maioria não levam em consideração o estudo, o conhecimento científico dos pais. Os médicos rotulam os pais como incapazes, mostrando assim o controle que é exercido pelos que fazem ciência na academia. Os pais, com o aprofundamento, conhecem melhor a doença e o prognóstico, o qual é terrível e chega para os dois como um baque emocional.

         Podemos observar também o sentimento de culpa pela mãe, que quando visita um especialista em ALD, o mesmo diz que a doença é hereditária e ligada ao X, ou seja, Lorenzo desenvolveu a adrenoleucodistrofia  unicamente devido a um gene proveniente de sua mãe.

         Com o tempo, eles vão para uma associação (sociedade) de pais com filhos portadores da ALD, e lá eles se sentem decepcionados, pois ninguém foca na cura, apenas em como entender e conviver com a doença, visando apenas si próprios, ou seja, como “segurar” as rédeas do casamento, como tentar manter a vida cotidiana “normal”, etc.

         E com o passar do filme, vamos acompanhando a perda das funções principais de Lorenzo, como a fala, a capacidade de alimentar-se, da comunicação. E nesse momento observamos os pais moldando os seus próprios modos para que o filho sinta-se mais normal, observando pelo momento que eles deixam de usar talheres para que Lorenzo sinta-se melhor.

         Em um momento do filme eles se veem diante do “paradoxo da pia”, no qual eles se questionam porque há o aumento dos ácidos se retiraram o mesmo da dieta do menino, paradoxo este que não irei me aprofundar muito. Os pais resolvem organizar um simpósio e o médico responsável pelo modelo da dieta diz que os custos são muito altos e que eles não irão conseguir angariar fundos, e isso deixa-nos a pensarmos: a quem serve a ciência? Às famílias que tem crianças com ALD ou ao mercado que diz ter um número pouco prevalente da doença e por isso não se justifica  o investimento em pesquisa?

         Devemos frisar também que outras pessoas prestaram cuidados à Lorenzo durante o estudo dos pais, tendo alguns conflitos pessoais estas pessoas desistem. Percebemos a importância do estudo do psicológico de todos que são afetados direta e indiretamente.

         Vou salientar aqui a apropriação do conhecimento científico que esse casal de historiadores fez, eles eram totalmente leigos com relação à biologia, à bioquímica e genética e de repente eles imergem nesse mundo, questionam como a ciência caminha, criticam-na, mas fazem isso com propriedade, com o conhecimento que eles se apropriaram. Esse é um ponto muito importante porque nos mostra a que serve o conhecimento, ele serve para questionar, levantar discussões! E no final, um leigo (sim, um leigo!) descobre o “caminho bioquímico” de uma doença.

         E apesar de toda essa descoberta, entra-se em uma necessidade social chocando-se com a lógica do mercado onde se perguntam qual vantagem uma indústria química iria ter (financeiramente) ao sintetizar uma garrafa pura desse segundo óleo?

         E mesmo após a descoberta do óleo, o pai de Lorenzo tenta descobrir uma forma de “remielinizar” os neurônios do seu amado filho, que foram destruídos progressivamente por conta da doença, e novamente ele cai em campo e consegue organizar mais um simpósio/conferência  para mais uma vez reunir todos os especialistas e fazer com que trocassem informações para que as pesquisas pudessem caminhar e não ficarem estagnadas em seus respectivos laboratórios.

       
      Lorenzo e seu pai na vida real
Esse filme nos conta uma história real desse casal de historiadores que conseguiram prolongar a vida do seu filho 22 anos além do que os médicos esperavam, ele morreu em 30 de maio de 2008, um dia depois do seu 30º aniversário decorrente de uma pneumonia.





  Filme super indicado. Vocês já assistiram?


Post feito pela Lizi Reis 



Post válido para Top Comentarista de Janeiro 

Comentários via Facebook

11 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lizi,eu não consegui assistir o filme até o final. Confesso!
    Eu só chorava o tempo inteiro.
    Sendo mãe de um filho especial,sei que muitas vezes , nós os pais conhecemos muito mais as necessidades deles do que os médicos.
    E graças aos esforços desses pais tão batalhadores e nada acomodados, que tanta coisa foi descoberta acerca dessa doença.

    Sei que é um filme lindo! Mas as vezes vivemos uma realidade difícil também, que simplesmente é penoso demais...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Jan. E é muito bom que essas crianças tenham pais maravilhosos como os pais de Lorenzo e você, por exemplo. Também me emocionei muito com o filme! Uma lição de moral e tanta...

      Excluir
  3. Oii Lizi!
    Me emocionei com suas palavras, não sei se vou conseguir ver esse filme lindo...
    Mas vou tentar viu, gostei mto!
    Depois te conto o q achei!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assiste mesmo, Aline. E vem me contar o que achou! Beijão

      Excluir
  4. Oi, Lizi!!
    Assisti esse filme quando estava no período da faculdade. Lembro que no há professora passou esses filme justamente por que foi duas pessoas normais fora do campo de pesquisa que acho a cura da doença do filho. Bom o que mais gosto no filme é que qualquer pessoa pode fazer o que quiser basta ser persistente.
    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Marta! Sempre com persistência. Um ótimo filme! Beijoooo

      Excluir
  5. Oi Lizi.
    Não tinha ouvido falar sobre esse filme.
    Ele aborda outro ponto de vista que é os dos pais do paciente, que às vezes são menosprezados pelos médicos, pois são considerados leigos.
    Fiquei com vontade de ver o filme, ainda mais que é baseado em fatos reais.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Pam. Isso mesmo, esse tratamento com os pais é bem comum ser visto, infelizmente. Assiste e me diz o que achou! Beijo

      Excluir
  6. Oi Lizi....
    Que linda a história desse filme... Já tinha ouvido falar desse filme em algum momento, mas acabei me esquecendo dele... Ao ler seu post me emocionei... Preciso assistir ao filme em breve e já garanto... Lágrimas vão rolar... Rs... O Fato de ser baseado em uma história verídica me faz ter ainda mais vontade de assistir... Depois que conseguir assistir, venho contar o que achei desse filme que parece ser muito lindo!!!
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui as lágrimas rolaram, rs. Também tenho uma atração por filmes baseados em histórias verídicas! Assiste e corre pra me contar, beijoooo

      Excluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por