11 de set de 2017
Por Duda Conti

Textinhos da Duda/ Aquele Sorriso






Eu nunca duvidei do amor que ele sentia por mim, ele sempre me passou confiança sobre os sentimentos dele, mas a insegurança sempre bate.

A insegurança é aquele bichinho que você tenta não incomodar, deixa dormir sossegado e tenta dizer para si mesmo "Tá tudo bem". Mas tem vezes que não dá para evitar, sem querer você esbarra na quina da cama e o tal bichinho acorda e você começa achar que não é boa o suficiente. 

Raramente me sinto insegura com o meu corpo, sei que passo longe de todos os padrões de beleza mais eu aprendi a amar quem eu sou e me valorizar. Mas ai ele me fala que tal atriz é linda, que a irmã do amigo do primo que mora na Inglaterra tem os olhos maravilhosos, ai eu vejo as amigas dele, aquelas que fazem faculdade com ele, e percebo que, caramba, eu não tenho nada a ver com nenhum dos padrões de beleza que o agrada, então porque ele me ama?

É ai que começa a paranoia, eu perco o ar, parece que a minha garganta está pegando fogo, as lágrimas sufocam e os autojulgamentos me bombardeiam:

"Ele não gosta de você!"
"Só tá com você porque se acomodou."
"Se você não mudar e emagrecer ele vai te largar."
"Acorda garota, ele quer alguém melhor que você!"

Eu odeio ser assim e se pudesse eu desligaria meu cérebro ou o reprogramaria, mas a ciência ainda não desenvolveu uma forma de fazer isso então eu continuo tentando conter esses pensamentos, esqueço que eles existem ou então cuspo eles numa folha de papel qualquer para ver se assim eu alivio a minha alma. 

Mas ai ele aparece em casa, vem me buscar para assistirmos um filme em uma sala escura de um cinema qualquer, eu entro no carro e ele sorri... Ai moreno, quando você sorri eu perco o rumo, eu esqueço todos os meus problemas e crises existenciais, é nesse seu sorriso que eu tenho forças para continuar e percebo que é seguro ficar, que você realmente me ama, porque pô, ninguém sorri desse jeito atoa. 


Promete nunca parar de sorrir para mim? 

Comentários via Facebook

1 comentários:

  1. Oi Duda
    Eu simplesmente amei o seu texto. Ele é bem curtinho, mas é uma leitura doce e gostosa, além é claro, de falar de algo com o qual muitos se identificam.
    Beijos!!

    Abobrinha com Chocolate

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por