23 de set de 2018
Por Nathália Bastos

Uma Canção para a Libélula - Volume Único/ Juliana Daglio

Título: Uma Canção para a Libélula - Volume Único
Autora: Juliana Daglio
Gênero: Drama/Romance
Editora: Amazon
Páginas: 612
Avaliação: 5/5
Sinopse: Ainda criança, a talentosa Vanessa compôs uma canção para expressar seu fascínio por libélulas. Sem compreender o significado desses insetos alados em sua vida, ela cresceu para se tornar uma pianista de sucesso, famosa em toda a Europa. Porém, sua alma sombria e quieta segue assombrada por uma presença cinza, uma doença inescrutável. A jovem pianista precisa retornar ao Brasil, ignorando a voz obscura que ronda sua mente, prometendo tragá-la para as memórias terríveis que cercam sua antiga casa em São Paulo. Seu reencontro com a mãe não facilita para que enfrente os sintomas de fraqueza que a acometem, levando-a a um abismo em si mesma. Contudo, Vanessa não estará mais sozinha. Em meio a todo o caos, conhece Nathan, um misterioso rapaz que se esconde por trás de meios sorrisos. Logo ele se mostra decidido na missão de ajudá-la a encarar a parte mais difícil de sua doença – a sobrevivência. 


Uma história sobre depressão, perdas e superação, que já conquistou centenas de leitores em suas primeiras edições. Agora o texto chega até o leitor em uma segunda versão, com o conteúdo renovado e cenas inéditas que compõe a mesma história. A trajetória de uma simples ninfa através de lagos sombrios, de um casulo apertado, até o romper das asas de uma imponente Libélula. 
Seja forte agora, mas não contenha suas lágrimas. 
Ouça a Canção até o final.
*Juliana Daglio é autora parceira do blog.

Quebrei meu casulo e voei

Nessa nova edição, Juliana nos traz uma historia mais madura, mas sem deixar a essência da história, se você não conhece, convido você a ler as resenhas da edição antiga, pois nessa resenha irei apenas pontuar as diferenças, já que a história na verdade continua a mesma. Basta clicar nos links a seguir:

Uma Canção para a Libélula Parte I
Uma Canção para a Libélula Parte II 

Agora vem se emocionar comigo nessa nova edição.

A Depressão é diferente para cada um, como comprovei ao ir á reunião daquele grupo de apoio, e depois lendo sobre o assunto. Muitos podiam ver de outra forma, mas para mim a imagem de estar confinada em camadas e mais camadas, lutando para sair, era a mais simbólica. Meus sonhos sufocantes se repetiam todas as noites, impiedosos. Não tinha certeza se conseguiria sair de dentro de minha crisálida como um imago bem sucedido, mas prosseguia tentando, pensando em cada palavra de amor de minha família.

Antes o livro era divido em duas partes, sendo assim, dois livros, agora nessa nova edição ele se tornou volume único, o que ficou bem melhor. Mas, dentro do livro, um surpresa, Juliana dividiu a história em três partes: a primeira onde apresenta a Vanessa adentrando na Depressão, a segunda parte, onde ela enfrenta sua doença e luta contra ela, e terceira e última parte, mostra Vanessa saindo, literalmente, do casulo e voltando a viver. Já devem ter percebido que apresentam os estagio da metamorfose da libélula né, pois essa intenção caiu como uma luva.

O que mais gostei dessa edição é que o personagem Nathan McWillian não passa a primeira parte sendo "um fantasma", pois no primeiro livro da edição antiga ele apenas fazia aparições e não havia diálogo algum, já nesse ele tem uma participação da historia do inicio ao fim, com diálogos e tudo o mais. 

Juliana nos trouxe uma nova edição carregado de mudança, não somente com o Nathan, mas na dinâmica das cenas importantes, incrementando novos ângulos, e também novos personagens, sendo um deles, se tornando um chave para fechar o livro.  Algumas cenas foram reformuladas, onde os diálogos se tornaram mais maduros, ainda que cheia de emoção, mas mostra também um toque profissional, mostrando as consequência verdadeira da doença. 

O que quero dizer para vocês que já leu essa historia é, Juliana continua a nos emocionar sempre com essa história, mas dessa vez ela trouxe revelações, até mesmo correções em alguns pontos, mostrando uma Vanessa que consegue abrir os olhos e perceber que ela precisa não somente sobreviver, mas sim viver, onde ela percebe que não esta sozinha, que existem pessoas iguais a ela, que se ela não procurar uma ajuda profissional ela não vai conseguir vencer dia apos dia a Vilã Cinzenta. Vanessa se amadurece de uma forma incrível, onde ela permite se descobrir novamente, até mesmo perceber quando não esta bem e sabe que precisa lutar, mesmo que em seu interior, sua vontade é se entregar a doença, mesmo que não consiga encontrar forças para lutar, ela pelo menos tenta. 

-Saiba que sua força é maior que tudo, Vanessa. Enquanto você tiver a si mesma, isso bastará.

Outro ponto que quero dizer é, na edição antiga, alguns dizem que foi o romance entre Nathan e Vanessa que a fez sair da depressão, eu particularmente nunca vi dessa maneira, mas então Juliana mudou alguns pontos, mostrando que não foi o romance em si, mas o fato de uma pessoa totalmente desconhecida perceber o que estava acontecendo e tentar ajuda-la, tanto que algumas cenas mostra que Vanessa consegue sair do estado de entorpecimento sem ao menos lembrar de Nathan. Existe o romance, sim, mas acontece porque Vanessa se permitiu abrir e descobri o amor, se permitiu ser amada e amar, não é fácil alguém se abrir enquanto se afunda em uma escuridão, mas ao permitir que uma pessoa que só esta li somente para ouvi-la e não trazer julgamentos e nem palavras de que ela precisa lutar. 

O amor próprio me mostrou o amor ao redor, e me fez capaz de amar Nathan, não o contrário.

Mas uma vez trago aqui aquelas palavras que fiz nas outras resenhas, Depressão não é frescura, não é falta de Deus, é uma doença seria, que precisa ser tratada, ela engole a pessoa, alguns conseguem disfarçar, mostra que esta tudo bem, outros já não disfarçam, mas as pessoas ao seu redor não percebem que ele grita por ajuda, grita para ser ouvido. Esse livro é um pouco forte, mostra verdade nua e crua, os pensamentos de uma pessoa depressiva, mas ela não igual aos outros que também sofre dessa doença, mas o seu objetivo é mostrar como é e quem sabe, como tentar ajudar alguém. Não julgue a historia de ninguém, não diga que seus problemas são maiores que o dela, não diga que ela precisa sair mais, precisa se jogar na vida, porque ela não tem força para isso. Apenas se faça presente, ouve o que ela tem para dizer, pegue na mão dela e diga: vamos juntas lutar!   

Obrigada Juliana, por não tirar a frase que tanto amo a ponto de tatuar no meu braço, obrigada por trazer uma história madura e ao mesmo tempo pura. A escrita também mudou, deixando mais poética, trazendo ainda mais emoção, e claro, chorei demais e essa nova capa casou muito com a história, colocando Vanessa dentro de um sonho, com toda a liberdade que ela tanto almejava, em meio a cor roxa, a cor da sua nova vida. Seja a cor na vida de alguém, seja uma arvore roxa no caminho de alguém, se você sofre algo, procure ajuda, não julgue a si mesmo, ninguém é perfeito, todos nos carregamos algo que nos marcou e todos nós passamos por situações que não sabemos como sair dela.  

Sim, Nathan tinha salvado a minha vida e participado diretamente em minha escalada de volta para o mundo real. Ele me ajudara de uma forma a atrelar sua vida a minha, mas isso não significava que eu não pudesse viver sem ele. Sua chegada aos meus dias havia mudado toda a estrutura do meu coração e, apesar de eu sentir que estava esvaziando de novo, tinha duas escolhas: adoecer e morrer ou buscar minha identidade sozinha. Escolhi a segunda.

É hora de quebrar o casulo, ela é dura, mas persista, lute, se cair, tente levantar e continuar tentando, uma hora você vai voar, com lindas asas azuis.

Acima de nós uma libélula azul sobrevoava, planando sobre o ar, como se tivesse total poder sobre o vento.


Comentários via Facebook

1 comentários:

  1. Oie!
    Eu não conheço esse livro, fiquei bem curiosa sobre ele. Vou procurar, com cerreza, dica devidamente anotada!

    Beijoooo 💓

    ResponderExcluir

Veja os antigos!

© Biblioteca Lecture • Desenvolvimento com por